A AIFIm destaca a importância dos sistemas de fixação nas coberturas para garantir a segurança do resto dos elementos

  • A AIFIm, Asociación Ibérica de Fabricantes de Impermeabilización, incorpora como “parceiro colaborador” a FYT e a Etanco, dois dos principais fabricantes de sistemas de fixação.
  • Para além da segurança, a AIFIm destaca a contribuição dos sistemas de fixação para a sustentabilidade do edifício.

Fijaciones 3

As tormentas dos últimos meses (Filomena, Gaetán, Ignacio …) deixaram-nos imagens espetaculares de coberturas e telhados arrancados de seus edifícios, deixando significativos danos materiais e estruturais. A AIFIm, Asociación Ibérica de Fabricantes de Impermeabilización, lembra que para garantir a segurança dos elementos que constituem a cobertura, bem como o seu correto comportamento, é imprescindível um bom sistema de fixação, corretamente dimensionado e adequado aos materiais e produtos instalados na cobertura.  “O sistema de fixação garante a permanência dos elementos que constituem a cobertura, por isso tanto a qualidade do sistema como a sua instalação são importantes. É importante que o profissional que instala a cobertura consiga dimensioná-la corretamente, estabelecendo o número adequado de fixações”, explica Gonzalo Causin, presidente da AIFIm.

Por este motivo, a associação trabalha na promoção e valorização da correta instalação dos sistemas de fixação, entendendo-os como um elemento fundamental para garantir que os restantes componentes instalados na cobertura, como as membranas impermeabilizantes ou o isolamento, cumpram a finalidade para a qual foram fabricados. Para realçar a importância das fixações, a associação contará com a colaboração da FYT e da Etanco, dois dos principais fabricantes de sistemas de fixação para coberturas. Ambas as entidades aderiram recentemente à AIFIm como “parceiros colaboradores”, uma nova figura com a qual a associação procura integrar e envolver na sua atividade as empresas que prestam serviços ou oferecem produtos complementares aos fabricantes de sistemas de impermeabilização.

“Da AIFIm trabalhamos na defesa e valorização do setor, defendendo uma maior profissionalização como forma de atingir a sua transformação”, afirma Gonzalo Causin. “Isso envolve não só os fabricantes de sistemas de impermeabilização, mas também todos os atores do setor da construção que se ocupam direta ou indiretamente da instalação de produtos e soluções impermeabilizantes”.

Fijaciones en ImpermeabilizaciónEficiência energética, outro valor a destacar

A luta contra as alterações climáticas e a redução das emissões de CO2 tem encontrado o seu melhor aliado nos edifícios, pelo enorme potencial que possuem em termos de redução de emissões. A AIFIm quer insistir na contribuição que uma impermeabilização correta traz para a eficiência energética, a saúde e o conforto no interior do edifício. Neste sentido, a associação também quer destacar o papel das fixações na cobertura. “Estes sistemas também podem contribuir para a sustentabilidade da cobertura”, explica Enrique Capilla, diretor de Fixações da FYT. “Uma fixação é um elemento que atravessa todos os componentes da cobertura (exceto quando o sistema de fixação escolhido é a indução, no qual a membrana impermeabilizante não é perfurada), que conecta o exterior com o interior. Os sistemas mais tradicionais eram fabricados com metal, o que provoca o aparecimento de pequenas pontes térmicas. Porém, os fabricantes estão cada vez mais conscientes da necessidade de dar sustentabilidade e eficiência à edificação, como forma de reduzir a sua pegada ambiental, por isso temos desenvolvido soluções que evitam a transmissão de frio/calor, proporcionando maior eficiência e segurança”.

Os novos sistemas de fixação telescópica (este sistema telescópico é aplicável tanto para o sistema tradicional de fixação por sobreposição como para o sistema de indução) evitam que esta transmissão de temperatura ocorra, ao mesmo tempo que protegem o resto dos componentes da cobertura, tais como membranas de impermeabilização, de rasgos ou rasgões. “O setor avançou muito em inovação e em comparação com os sistemas de fixação tradicionais, apostamos em produtos mais seguros para o trabalhador e para a cobertura. Além disso, os novos componentes são fabricados segundo critérios de economia circular, ou seja, a matéria-prima utilizada na sua fabricação é em grande parte reciclada, e, além disso, todos os componentes são recicláveis ao final de sua vida útil, e a sua recuperação na obra é muito simples”, destaca Rodrigo Nevado, responsável técnico da Etanco.

Com sua incorporação à AIFIm, abre-se um novo, mais amplo e enriquecedor caminho de trabalho, baseado no compromisso com o ambiente, a sociedade e o emprego de qualidade.

 

Mais informação:

https://aifim.es/

Comentários:

Deixe uma resposta

Tem de iniciar a sessão para publicar um comentário.