Quinta da Cheira

revistaanteprojetos14092021 (1) CAPA

A ideia de projeto passa por resgatar a forma como se vivia naquele lugar, recuperando também os edifícios existentes para albergarem as casas de campo.
Os edifícios de habitação pré-existentes, de construção mais duradoura e desenho mais nobre, serão reabilitados mantendo quase intactas as suas configurações originais, ao passo que os edifícios pré-existentes que se destinavam aos apoios agrícolas e que apresentam uma construção mais débil e sem qualidade arquitetónica, serão reconstruídos mantendo como princípio o desenho humilde característico destas construções reconfigurando as volumetrias e as suas funções.

revistaanteprojetos14092021 (2)
Lê-se com bastante presença o muro que a ladeia e que configura o Jardim das Camélias, no seu remate percebe-se um acesso bastante discreto que liga diretamente a estrada à cota do jardim. As casa principal e a casa do caseiro desenvolvem-se imediatamente a seguir e ficam separadas pela eira. Estes dois edifícios embora tenham acessos a partir da via pública, potenciam as suas relações mais fortes a partir do interior da quinta. Esta relação que se estabelece com a quinta será mantida para potenciar a convivência dos utilizadores entre si e o espaço rural.
No seu conjunto o projeto engloba dois edifícios existentes para reabilitar e de três edifícios a reconstruir que serão implantados nas zonas onde atualmente existem pequenas edificações (algumas já num estado avançado de degradação), de apoio à atividade agrícola que serão para demolir.

revistaanteprojetos14092021 (3)
Os edifícios ao longo do tempo foram sofrendo pequenas alterações quanto à sua morfologia, que não alteraram significativamente as suas dimensões, os seus acessos, e as relações que ambos estabelecem com o exterior.
Compreende-se no local a proximidade entre as edificações separadas por uma eira, revestida a pedra de xisto, que pauta a forma como as habitações se relacionam entre si.
O projeto aproveita as relações de proximidade que se estabelecem entre os edifícios, através dos percursos pedonais estabelecidos, para enfatizar a forma de vida que acreditamos ser daquele local.

 

FICHA TÉCNICA
PROJETO DE ARQUITETURA
E COORDENAÇÃO DE PROJETO:
TUU – Building Design Management
AUTORES: Arquiteto Hugo Tocha

Designação: Quinta da Cheira
Função: Turismo em Espaço Rural
Localização: Coimbra
Data conclusão da obra: Não definida

 

tuuTUU_logo-02A TUU, fundada em 2016, com princípio base da criação de um serviço especializado de coordenação e gestão de projetos de edifícios. O objetivo dos fundadores, Hélder Loio, Hugo Tocha e Leonardo Crisóstomo, era posicionar a empresa ao lado do Dono de Obra, na defesa dos seus objetivos, zelando pelo seu investimento.
A Coordenação e Gestão de Projetos foram os primeiros serviço, contudo após a insistência dos clientes foram desenvolvidos o Projeto de Arquitetura e a Fiscalização de Empreitada.
Em 2017 a TUU lança a buildtoo, uma plataforma online de gestão de processos construtivos, para a comunicação entre Gestores de Projetos e Investidores, focada no controlo dos prazos e custos, qualidade, e eficiência e eficácia das equipas. Em 2018, foi considerada uma das startups mais promissoras de Portugal e mais mediática da construção.
O crescimento de 2019 permitiu aumentar a equipa, que conta com mais de 4 dezenas de colaboradores em Coimbra, e reforçar a de Lisboa. Em 2020 a TUU mudou para a nova sede: a URUBU!

Principais projetos:
Centro clínico UCARDIO;
Sede da EXTINTEL;
Ampliação da sede da SEW EURODRIVE

 

GABINETE:

TUU – BUILDING DESIGN MANAGMENT, LDA

Comentários:

Deixe uma resposta

Tem de iniciar a sessão para publicar um comentário.