CONSTRUÇÃO E IMOBILIÁRIO CONSIDERADO UM DOS SETORES COM MELHOR DESEMPENHO DURANTE A PANDEMIA

Hays

  • Forte aposta na digitalização e energias renováveis;
  • 63% não negociaram o pacote salarial
  • 13% foram aumentados e 4% foram promovidos
  • 37% recusaram ofertas de emprego

O mercado da Construção e Imobiliário demonstrou um balanço positivo, tendo sido considerado um dos setores com melhor desempenho no contexto da atual crise sanitária, segundo dados do Guia do Mercado Laboral 2021 (GML) da Hays. Portugal continua a ser um dos países mais atrativos para estes investimentos, algo que fortaleceu o setor e o permite ser uma fonte de esperança para a economia nacional, amenizando as consequências sentidas pela pandemia.

Relativamente às tendências no setor, João Fonseca, Section Manager na Hays Portugal refere que “a digitalização e a aposta nas energias renováveis foram a grande tendência deste mercado neste último ano e em muito contribuíram para este bom desempenho. O setor começou a investir mais na profissionalização e na digitalização. Simultaneamente, a construção de parques solares e eólicos, influenciou a contratação de engenheiros especializados nestas áreas”.

Dados do Guia revelam ainda que, o ano neste setor foi marcado por obras públicas de grande dimensão e por obras privadas no segmento residencial, cujo o impacto positivo em muito contribuiu para este bom desempenho.

Ainda de acordo com informação disponibilizada no GML 2021, os profissionais deste setor que responderam ao inquérito 63% não negociaram o pacote salarial atual, 13% foram aumentados e 4% foram promovidos em 2020, 37% recusaram ofertas de emprego em 2020 e que 30% estão disponíveis para trabalhar no estrangeiro.

Perspetivas para 2021
Embora tenha sido um dos setores com melhor desempenho no contexto da crise sanitária, a área da construção e imobiliário enfrenta o novo ano com alguma incerteza. Por um lado, existem novas obras e projetos para desenvolver e, por outro, a situação da pandemia pode atrasar alguns investimentos e financiamentos, trazendo alguma instabilidade às empresas. Ainda assim, João Fonseca explica que “para resistir a uma possível recessão, o ano de 2021 conta com os setores do imobiliário, construção e investimento público, que têm dado sinais de serem as áreas que melhor estão a sobreviver ao impacto da pandemia”.

Além do segmento residencial, a área industrial também é uma das fortes apostas no investimento imobiliário em 2021. Quanto ao setor público, salienta-se a prioridade dada a obras de vias de comunicação e energias renováveis. Neste panorama, as tendências vão manter-se quanto aos perfis mais requisitados, entre eles Diretor de Obra, Diretor Comercial e de Marketing e Gestor de Projeto.

Metodologia
Este Guia Laboral do Mercado Laboral 2020 traduz-se num guia de tendências de emprego e salários, numa perspetiva de compreender o mercado de trabalho em Portugal. A primeira parte desta edição conta com uma análise das motivações preferenciais de profissionais e empresas através de um inquérito anónimo com base nas respostas de 3.259 profissionais qualificados e 793 empregadores, pelo que a análise regional incidiu sobre as regiões do Norte, Centro e Sul de Portugal, efetuado pela Hays. Sendo que a segunda parte conta com uma análise das dinâmicas de recrutamento em áreas e setores de mercado específicos. Os dados e opiniões aqui apresentados baseiam-se nos resultados dos inquéritos realizados e nos conhecimentos de mercado dos consultores da Hays, realizados de outubro de 2019.

Para mais informações, contacte:
Catarina Vilar, Communications & Content Specialist
[email protected]
910 093 811

Comentários:

Deixe uma resposta

Tem de iniciar a sessão para publicar um comentário.