Casa do Tempo

Revista Anteprojectos Dezembro 2019 ed 305 - pag18a

A leitura da planta pode ao mesmo tempo ser um exercício de compreensão técnica e/ou uma contemplação de uma pintura abstrata. A composição dos elementos, a proporção dos espaços e a relação entre os cheios e os vazios, são reminiscentes do neoplasticismo da pintura abstrata. A pré existência circular que é o poço, foi o ponto de partida do projeto. É a partir do negativo formal do poço que surge o núcleo da casa – um jardim interior referenciado por uma árvore de importância fundamental para os proprietários – e é à volta deste vazio que o restante programa se distribui naturalmente. Dois quadrados que se sobrepõem em parte, dividem o espaço social do espaço privado onde a separação é realçada pela diferença dos pés direitos; um pé direito mais reduzido torna o espaço privado mais aconchegador e o espaço social, em contrapartida com um pé direito superior, mais congregador. Esta dinâmica é bastante visível logo a partir do exterior, quando nos apercebemos que existem dois volumes distintos e que um deles se engaveta no outro.

Revista Anteprojectos Dezembro 2019 ed 305 - pag18b

Para além da composição formal do projeto, outro valor indispensável se levantou durante o processo: a materialidade foi uma ferramenta na coesão que o projeto carenciava. Devido à fragmentação dos planos e à existência de grandes vãos envidraçados, era essencial oferecer à casa uma robustez e uma materialidade consolidada. A opção pelo betão aparente conjugado com o metal respondeu na medida certa à intenção desejada. Uniformizou a linguagem do projeto, conjugando os elementos verticais com os pavimentos e coberturas.

- Designação
Casa do Tempo
- Função
Habitação unifamiliar
- Localização
Águeda
- Data conclusão da obra
2020

Ficha Técnica
Arquitectura: Carolina Freitas Arquitectura

Revista Anteprojectos Dezembro 2019 ed 305 - pag18cRevista Anteprojectos Dezembro 2019 ed 305 - pag18dO projeto foi criado em 2014 por Ana Carolina Freitas. É a mesma quem dá nome ao atelier mas é em equipa que se desenvolve a atividade. Atualmente a equipa é completada pelos arquitetos Joel Marinho e Sabrina Santos, tendo contado com várias e preciosas colaborações ao longo do tempo. A filosofia do gabinete é assente na abertura da arquitetura a todos e na aceitação da multidisciplinaridade e do multiculturalismo como uma ferramenta importante para garantir um produto à altura dos desafios, sem constrangimentos e livre de preconceitos.

Projectos em carteira:
– Lapa – Bloco habitacional, Albergaria-a-Velha (raiz)
– Casa do Trevo, Águeda (raiz)
– Casa do Tempo, Águeda (raiz)
– Casa Ribeira de Fráguas, Ribeira de Fráguas (raiz)
– Moradia unifamiliar, Sever do Vouga (raiz)

Gabinete:

CAROLINA FREITAS ARQUITECTURA

Comentários:

Deixar uma resposta

Tem de ter a sessão iniciada para publicar um comentário.