Muita parra e muita uva (?)

Revista Anteprojectos - Junho 2019 - pg129a

A propósito da comemoração dos 25 anos da Revista Anteprojectos e do pedido de um pequeno texto sobre o mesmo, lembrei-me de fazer um pequeno apontamento sobre estas novas formas de comunicar.

Vivemos como sempre ao longo da história novos tempos e novos tempos exigem novas leituras e novas respostas.

A nossa forma de interpretar a realidade passou a estar dominada pelo mundo das formas e das imagens. Aliadas a um tempo que se faz escasso e colocadas numa escala maior, tudo parece mais volátil e menos sólido. As novas formas de comunicar, generalizadas que estão, transformam os quatro cantos do Mundo, nas suas diferenças culturais num mesmo canto com poucas diferenças. Diferenças só entendidas por quem as habita simultaneamente, mas das quais resultam imagens muito semelhantes.

A proliferação imagética dos ambientes e dos edifícios sejam eles reais ou apenas virtuais, criam espectativas e alimentam imaginação, ao ponto que cada vez mais existir um “cliente” que quer ser deslumbrado. Cada vez mais surge o mercado do deslumbramento, que cria cidades virtuais, palmeiras aquáticas, edifícios mais altos ou apenas ideias com forma, através de projectos de assinatura, para vender, para atrair visitas, para ser marca, marketing, vedeta e artista, nem que o mesmo apenas dure os 5 minutos da fama. Fama e prémios também eles virtuais.

A Arquitectura, arte e engenho que transforma fisicamente o espaço “em si” em “per si”, responde e adequa-se a esta realidade. Num mundo de imagens, onde se confunde realidade com virtualidade, o campo da Arquitectura mudo bastante. Hoje em dia trabalha-se mais para um projecto do que para uma obra. Muito da Arquitectura que se faz é hoje em dia fruto de imagens virtuais e menos de obras feitas. Por isso, poderei dizer que o campo da virtualidade representa hoje uma área importante da produção Arquitectónica.

Contudo aqueles que sabem e trabalham na Arquitectura, também sabem que muitas destas obras e projectos que se fazem são apenas imagens que apresentam como fundamento nada mais do que colagens.

Não interessa fazer juízos de valor, se são melhores ou piores estes tempos, apenas que são diferentes e cada vez mais rapidamente diferentes. São tempos de mudanças rápidas que fazem com que as diferenças entre idades marquem tanta diferença como noutros tempos as diferenças entre gerações.

Inovação e criatividade na Arquitectura não é apenas usarmos ferramentas novas, não é criarmos formas apelativas e deslumbrantes, nem é usarmos da publicidade e marketing para vendermos ideias e imagens, mas também o é.

A importância de uma notícia é algo que se tornou tão vulgar com tantas notícias e tantas informações que recebemos. Saber fazer a selecção é um conhecimento que se adquire. Na minha selecção de informações consta a referência do Revista Anteprojectos.

Gabinete:

A. BURMESTER – ARQUITECTOS ASSOCIADOS, LDA

Comentários:

Deixar uma resposta

Tem de ter a sessão iniciada para publicar um comentário.