De onde vimos, para onde vamos

art de opinião Hugo Silva

A década de 90 marcou o início da aceleração mais recente a que assistimos, política e económica. Marcou o início da massificação do computador pessoal, o início da era da internet, o colapso da União Soviética e o fim da Guerra Fria, a consolidação da democracia e do liberalismo económico (globalização). Foi também o início do telemóvel, dos pagers, do Windows 95 e 98, das playstations, da Expo 98, do lançamento do telescópio Hubble e da clonagem da ovelha Dolly. A Europa liberaliza-se e cresce exponencialmente. Em Portugal dá-se início a um crescimento económico sem paralelo com o PIB a crescer perto dos 40% numa década. O sector da construção acompanhou e ajudou a construir este forte desenvolvimento do país, agora alicerçado na entrada na CEE e em todo o apoio e oportunidades que acarretou. Assim nasce também a ANTEPROJECTOS, na senda da consolidação da informação de projectos e inovações no sector, contribuindo fortemente para criar um meio de comunicação útil e de referência nos últimos 25 anos.

A década de 2000 trouxe a natural recessão. Uma demasiada sustentação do crescimento no crédito ao consumo, incluindo o sector da construção que conhece um boom devido às obras públicas e ao crescimento da construção habitacional que se acentua devido à aquisição de casa própria pela grande maioria dos portugueses, para além de outros factores como o peso excessivo do Estado com o aumento da divida pública. Em 2011 teríamos de novo o FMI em Portugal para corrigir estes e outros desequilíbrios, com todas as consequências conhecidas que ainda hoje nos afectam.

Nesta história recente de crescimentos e crises, o sector da construção soube reinventar-se, trazendo sempre valor acrescentado à economia e ao país, através de novas infraestruturas, melhorias significativas na qualidade de vida das populações através de novas e inovadoras construções. Se olharmos para trás para toda a evolução humana, a construção faz parte da nossa história, conta e mantém essa mesma história. Da torre Eiffel à Sé de Lisboa ou à Golden Gate Bridge, a cultura é também retratada na construção de edifícios e estruturas. Assim contamos a nossa história e a perpetuamos para as futuras gerações. A Whirlpool, com as suas quatro marcas de referência em Portugal (KitchenAid, Whirlpool, Hotpoint e Indesit) detém também um pequeno apontamento na história, com mais de 100 anos de existência. Aqui queremos estar no mínimo nos próximos 100 anos e esperamos ter a ANTEPROJECTOS a acompanhar-nos. Parabéns!!

Whirlpool

Comentários:

Deixar uma resposta

Tem de ter a sessão iniciada para publicar um comentário.