A Engenharia Portuguesa no norte de África

1. Biblioteca Boumediène em Argel

Vista tridimensional do Complexo 01Figura 1 – Vista tridimensional do Complexo (1).

A empresa Consulplano, do Grupo PCG Profabril Consulplano, foi contratada pelo atelier do Arquitecto Oscar Niemeyer (gerido agora pela filha Ana Niemeyer) para a elaboração do projecto da Biblioteca Árabe-Sul-Americana em Argel, (Boumediène) por encomenda directa do Presidente da República da Argélia.

O projecto foi executado em apenas 3 meses, em coordenação permanente com as entidades locais e recebeu a aprovação imediata do Dono de Obra, embora durante os 6 meses seguintes tenha sofrido várias alterações de pormenor, até se chegar à aprovação final por parte de todas as Entidades Estatais envolvidas no processo. Durante este último período foram também revistas outras estruturas do mesmo complexo, com o mesmo objectivo de adaptação às condições sísmicas do local.

O projecto da Biblioteca Árabe-Sul-Americana consiste num complexo cultural, cujo investimento global ronda os EUR 110 milhões, constituído por cinco edifícios unidos pelos pisos de estacionamento: a Biblioteca propriamente dita; um Restaurante; um Teatro; uma Residência; e a Sede da A.R.P.C (Agência Nacional para Gestão da Realização de Grandes Projectos Culturais).

O edifício em questão tem uma área de implantação de aproximadamente 3.000 m2, desenvolvendo-se em   altura por 2 pisos enterrados e 9 pisos acima do solo. A distribuição dos pisos é a seguinte:

– Pisos -2 e -1, destinados a estacionamento e instalações auxiliares à Biblioteca;
– Rés-do-chão, com a entrada principal do edifício, a recepção, uma cafeteria, uma boutique e ainda uma zona livre coberta;
– Piso 1, onde estão concentrados alguns serviços administrativos e internos da Biblioteca;
– Pisos 2 a 5, destinados à ocupação de salas polivalentes com serviços destinados ao grande público, como música, vídeo, leitura e arquivos;
– Pisos 6 e 7, reservados totalmente a investigação e não acessíveis ao grande público;
– Piso 8, igualmente não acessível ao público e destinada à administração;
– Cobertura, onde se localizam as instalações técnicas do edifício.

Todos os pisos são servidos por circulação vertical, através de um núcleo principal (no centro do edifício) e dois secundários (um de cada lado do edifício).

Vista tridimensional do ComplexoFigura 2 – Vista tridimensional do Complexo (2).

A estrutura do edifício foi simulada por um modelo de cálculo tridimensional no SAP2000 v15, de elementos finitos lineares e planos, solicitados pelas acções permanentes, sobrecargas, acção do vento, acção da temperatura e acção sísmica.

As lajes e as paredes dos núcleos são simuladas por elementos finitos planos (tipo casca). As vigas e os pilares são simulados por elementos finitos tipo barra. As acções são consideradas isoladamente e os esforços são combinados de acordo com as combinações de acções estipuladas no Eurocódigo.

Modelo de cálculo tridimensional da BibliotecaFigura 3 Modelo de cálculo tridimensional da Biblioteca.

2. Modernização do estaleiro naval de Argel

A empresa PCG Profabril XXI do Grupo PCG Profabril Consulplano está a elaborar o contrato de “Modernisation et développement du Chantier Naval d’Alger”.

a) Enquadramento

O governo argelino lançou em 2013 através da ERENAV, Entreprise de Réparation Navale um concurso público internacional para a Modernização do Estaleiro Naval de Argel. Este estaleiro – Erenav Argel – dispondo de docas secas para navios até 140 m de comprimento, foi fundado ainda na época colonial francesa, e constitui a principal empresa de indústria naval da Argélia. A intenção das autoridades argelinas consistia essencialmente em 2 vertentes: (i) a modernização da reparação naval através da melhoria dos equipamentos e instalações e visando o reforço da produtividade; (ii) a introdução da construção naval para navios/embarcações de pequena/média dimensão, aproveitando um plano inclinado desactivado.

ESTALEIRO NAVAL DE ARGEL 01Apresentaram-se a concurso 9 empresas de vários países nomeadamente da China, da Rússia, da Alemanha, da Espanha (2 empresas), da Croácia, da Bélgica e de Portugal (2 empresas). Na sequência da avaliação efectuada pela entidade adjudicante, a Profabril XXI veio a ser selecionada. Apraz registar que a Profabril XXI que, para o efeito, fez desde o início envolver alguns dos melhores peritos nacionais na sua equipa e que contou com um parceiro local, foi selecionada em primeiro lugar destacada nomeadamente quanto ao critério da qualidade técnica da sua proposta.

b) O projecto

O projecto envolve como referido 2 vertentes e uma análise de riscos nas vertentes ambiental e de segurança, a organização do estaleiro e um estudo económico- financeiro dos investimentos a realizar.

Na parte relativa às instalações existentes foram identificadas/confirmadas várias oportunidades de melhoria, nomeadamente: (i) na logística interna com a introdução de novos meios de elevação (gruas) na zona das docas e do cais facilitando as manobras de apoio às reparações; (ii) no ambiente geral de trabalho com a cobertura das 2 docas existentes através de estruturas ligeiras e com a possibilidade de abertura total para a manobra das gruas a instalar ao longo das docas. (iii) nas oficinas existentes (caldeiraria e mecânica) com a introdução de medidas de logística interna (identificação de fluxos de trabalho – workflows – bem identificados), renovação das condições de trabalho (iluminação, segurança, etc), e a aquisição de alguns equipamentos adicionais.

No que concerne a introdução da construção naval e na medida que era intenção da Erenav aproveitar um plano inclinado desactivado procedeu- se a um estudo comparativo de várias opções, genericamente agrupadas em 2 versões base: recuperação do plano inclinado; transformação do plano inclinado em plataforma e lançamento à água das embarcações através de um travel-lift, ou de um syncrolift. Como a área disponível para a montagem era limitada optou-se por fabricar os blocos (peso máximo de 20 tons) numa nova oficina na zona do cais da parte principal do estaleiro e de os transportar para a zona de montagem com o recurso a uma navette por via mar, e não por terra em virtude dos constrangimentos existentes no estaleiro em geral e na proximidade com a zona urbana da cidade.

c) Efeitos esperados

Os estudos preliminares efectuados permitiram estimar melhorias consideráveis da produtividade e conferir uma maior flexibilidade operacional ao estaleiro. Além disso a introdução da construção naval permitirá ao estaleiro alargar a sua acção comercial a outros mercados e á introdução de novas tecnologias de produção e de projecto de navios. Tudo em perfeita sintonia com a existente actividade de reparação naval o que reforçará a melhoria de produtividade e de flexibilidade.

ESTALEIRO NAVAL DE ARGEL 02
Assinala-se ainda oportunidade para a melhoria da sua organização, para a introdução de medidas para a mitigação de impactes ambientais adversos (efluentes, ruído, etc.) e para o reforço da segurança dos trabalhadores da empresa e dos seus clientes.

Mais informações:

PCG PROFABRIL CONSULPLANO GLOBAL

Comentários:

Deixar uma resposta

Tem de ter a sessão iniciada para publicar um comentário.