Extensão do Cais Existente da Sapec Agro, Terminais Portuários S.A.

A necessidade do aumento da capacidade de utilização das instalações da SAPEC AGRO, TERMINAIS PORTUÁRIOS S.A. levou à necessidade da extensão do cais existente, localizado na Mitrena, em Setúbal.

No estudo efectuado pela Via Túnel PGF foram consideradas 3 diferentes soluções:
• Solução 1: Solução mista em estacas e caixotões;
• Solução 2: Solução em estacas;
• Solução 3: Solução em estacas com uma configuração em planta alternativa.

A solução que se apresenta neste artigo corresponde à primeira, caracterizando-se por duas zonas de acostagem em forma de “V”, a principal à cota -12.5m.zh e uma secundária à cota -7.0m.zh. A parte do cais em estacas encontra-se na continuidade do cais existente com uma extensão de 198m, enquanto que a parte do cais em caixotões apresenta uma extensão total de 120m.

Nesta solução a plataforma do cais é constituída por elementos pré-fabricados correspondentes a pré-lajes e canaletes que irão funcionar como cofragem perdida. Os canaletes são preenchidos com betão armado de forma a constituir as vigas, e posteriormente será feita uma nova betonagem sobre as pré-lajes para solidificar todos os elementos, que ficarão assentes nas estacas. Estas correspondem a tubos de aço de Ø800mm com uma espessura de 20mm. Abaixo da cota 0.0m.zh as estacas serão preenchidas com areia e acima dessa mesma cota, serão seladas com betão armado.

Esta solução consiste em caixotões formados por aduelas pré-fabricadas com 4 células, cujo assentamento no local da obra é feito por gravidade. As aduelas tipo apresentam uma forma rectangular com 4.5×12.5m2 em planta e uma altura de 2.1m. O enchimento das células é efectuado com T.O.T. nas células centrais, enquanto que nas células laterais o preenchimento será feito com betão. Sobre a aduela superior é executada a viga de coroamento em forma em “L”.

A Via Túnel PGF é uma empresa de estudos e projectos de engenharia, cujas actividades principais se iniciaram em Julho de 2004.

O seu core-business centra-se na realização de projectos de referência nacional e internacional na área da engenharia civil, com destaque para as especialidades de estruturas e saneamento, referentes principalmente a projetos de obras Marítimas, Estruturas Industriais, reparação e reconstrução de edifícios, ETA’S e ETAR’S, e obras de arte.

A qualidade dos projectos a custos controlados e o cumprimento dos prazos visa o objectivo da nossa missão – “A satisfação dos nossos Clientes”.

Ao longo do seu percurso operacional, a Via Túnel PGF elaborou os projetos de alguns dos maiores edifícios Hospitalares em Portugal, Escolas, e a Reabilitação de dezenas de Edifícios Históricos na baixa Lisboeta. É de referir também o projeto das maiores ETA’s e ETAR’S do país, nomeadamente a ETAR de Alcântara, projectada para uma população de 756 mil habitantes da área metropolitana de Lisboa. Na área industrial, a empresa tem como principal referência a execução de todos os projectos de especialidades da ERSUC – Estação de Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos do Centro em Aveiro e Coimbra.

A globalização da empresa tem vindo a realizar-se, progressivamente, com maior destaque desde 2008.

A competitividade dos mercados internacionais convida à criação de parcerias com empresas nacionais e/ou estrangeiras e a sustentabilidade do crescimento “além-fronteiras” é a base do sucesso.

Na área internacional, a Via Túnel PGF elaborou os projectos das redes de águas e esgotos da cidade de Porto Aboim em Angola, as infra-estruturas exteriores da baía de Santa Isabel em Malabo (Guiné Equatorial) e a revisão do projecto do Hotel Luanda Plaza.

Em 2009 a Via Túnel PGF desenvolveu também o projecto da Ampliação do Porto de Casablanca, em Marrocos, o Porto de Malabo e o Cais de Bata na Guiné Equatorial. Recentemente elaborou o projecto dos viadutos do Metro Ligeiro de Superfície em Macau.

O reconhecimento do mérito dos trabalhos realizados, representam a criação de valor para os clientes da Via Túnel PGF, para a própria empresa e para os seus técnicos. A aplicação em novos projectos do “know-how” adquirido ao longo dos anos, visa a criação de valor contínuo para a sociedade que nos rodeia.

Projectos em carteira:
– Estaleiro Naval de Malabo, Guiné Equatorial;
– Pontes de Kogo e Akoga, Guiné Equatorial;
– Reabilitação de um Edifício na Calçada de S.Franscisco, em Lisboa.
– Edifício de Habitação e Comercio para a EPUL
– PDM da Golegã;
– Arruamentos e Infraestruturas de Saneamento no Concelho de Cascais.

Comentários:

Deixar uma resposta

Tem de ter a sessão iniciada para publicar um comentário.